Exatamente fodidos

duvida

Dia desses, quando me mandaram virar à direita, prar variar, deu tela azul e eu fiquei dançando com o volante, sem saber pra onde ir. Isso porque, dirigindo, me falta agilidade pra fazer um air-writing e lembrar qual é a mão direita. Só assim eu sei qual lado é qual.

Vai, pode rir, eu fui piada por anos (e ainda sou) por conta disso. E antes fosse só por isso.

Relógio, pra mim, só digital e nos esquema AM PM da vida. Porque, se eu estiver desatenta e o relógio mostrar 16h30, eu vou falar “seis e meia”.

Quinhentos metros e um quilômetro, pra mim, é a mema merda. Também não me pergunte o tamanho de nada, que eu só fiz questão de decorar o meu pra afirmar que não sou anã. Por três centímetros E MEIO.

Se um dia você começar a calcular algo em voz alta na minha frente e eu estiver prestando atenção, é encenação. Eu já parei de ouvir no primeiro número e tô pensando no queijo que tá na geladeira.

Eu dou a volta no quarteirão e já acho que tô no outro bairro.

Eu dou a volta em mim mesma e já não sei de que lado eu vim.

Se eu disser que tá vindo um ventinho noroeste, seja legal e não me peça pra apontar.

Eu, que sempre fui a melhor aluna da sala, vacilei no segundo ano do colegial e reprovei. Detalhe: Reprovei em todas as matérias de exatas e passei com nota máxima em todas as outras.

O diretor disse que não podia me ajudar porque eu não era burra, era folgada.

Daí que, num belo dia, eu resolvi descobrir se isso era normal, ou se tinha algo por trás de eu ser tão mula, matematicamente falando. Procurei por “falta de senso de direção” e RÁ! Olha o que eu achei na Wikipédia:

Discalculia (não confundir com acalculia) é definido como uma desordem neurológica específica que afeta a habilidade de uma pessoa de compreender e manipular números.

Entre os sintomas, estão:

Problemas de diferenciar entre esquerdo e direito.

Falta de senso de direção (para o norte, sul, leste, e oeste) e pode também ter dificuldade com um compasso.

Dificuldade com tabelas de tempo, aritmética mental, etc.

Melhor nos assuntos tais como a ciência e a geometria, que requerem a lógica mais que as fórmulas, até que um nível mais elevado que requer cálculos seja necessário.

Dificuldade com tarefas diárias como verificar a mudança e ler relógios analógicos.

A inabilidade de compreender o planejamento financeiro ou incluir no orçamento, nivelar às vezes em um nível básico, por exemplo, estimar o custo dos artigos em uma cesta de compras.

Tendo a dificuldade mental de estimar a medida de um objeto ou de uma distância (por exemplo, se algo está afastado 10 ou 20 metros).

Inabilidade de apreender e recordar conceitos matemáticos, régras, fórmulas, e seqüências matemáticas.

Dificuldade nas atividades que requerem processamento de seqüências, do exame (tal como etapas de dança) ao sumário (leitura, escrita e coisas sinalizar na ordem direita). Pode ter o problema mesmo com uma calculadora devido às dificuldades no processo da alimentação nas variáveis.

A circunstância pode conduzir em casos extremos a uma fobia da matemática e de dispositivos matemáticos (por exemplo números).

E tem mais, num outro artigo:

A discalculia é um distúrbio que dificulta a aprendizagem, pois impede que o indivíduo compreenda os processos matemáticos, mesmo que ela tenha um QI normal ou acima do normal.

As crianças que apresentam esse tipo de dificuldade realmente não conseguem entender o que está sendo pedido nos problemas propostos pela professora. Não conseguem descobrir a operação pedida no problema: somar, diminuir, multiplicar ou dividir. Além disso, é muito difícil para elas entenderem as relações de quantidade, ordem, espaço, distância e tamanho. E isso algumas vezes é entendido pelos pais e professores como preguiça.

Então, amigo, se você apresenta essas dificuldades, você tem discalculia. Seus problemas não acabaram, você vai continuar sem entender porra nenhuma na aula de Física e usando a calculadora só pra escrever SEIOS e OLHOS. Então faça como eu, vá pra uma área onde você só use números escritos por extenso. E o mais importante, use essa bagaça a seu favor:

Mãe, é por isso que eu não controlo meus gastos.

Amigos, é por isso que eu sou uma merda no bilhar.

Pai, é por isso que eu arranquei o retrovisor do carro, aquela vez.

Maira, tá fudida, vai me ajudar a estudar exatas pro vestibular.

E last, but not least: querido diretor, folgada é a senhora sua mãe. Um beijo.

91 comentários em “Exatamente fodidos

  1. |Eliane

    Bottam, tenho o mesmo problema que você! Sempre me ferrei grandiosamente em exatas, desde os primórdios escolares. E sabe onde eu fui me meter? Num curso de exatas, na Ciência da Computação. Fazer Calc I,II e III, Física I, II, III, Álgebra Linear…. Claro que sou medíocre, minhas notas são todas 6, mas sabe? Me senti feliz ao superar essa vergonha de ser a atrasadinha das exatas. Ainda sou a atrasada aqui, mas meu, perdi o medo, fiz meu cérebro funcionar e encarar esses problemas exatos que antes eu simplesmente fugia, por não entender.

  2. Rafael

    Caraca, pronto, descobri meu problema, sou descalculista (essa palavra existe?), pelo menos em alguns aspectos…

    Descobri o seu blog pela revista da Pix, o seu texto publicado se chamava “E-dependence”. Achei bem interessante a sua maneira de escrever, muito bom.

    Se puder, da uma olhada no meu blog http://www.somesentido.blogspot.com
    O site da Pix publicou um texto meu hoje, dia 2 de Outubro, ” O Amor nos tempos do iPod” (eles mudaram o nome original, né, mas, fazer o que…)
    Vou seguir a senhorita…
    Bjs

  3. Erickson Leon

    @Natália:
    A esquerda forma um “L” usando o indicador e o polegar. Esta dica quase sempre me salva, mas ainda prefiro checar minha “pinta” do pulso direito para não errar (o que chega a ser cômico). Não tenho “discalculia”, mas sempre fui o “que não distingue a direita da esquerda” da turma.

  4. Pingback: Tweets that mention Exatamente fodidos | Substantivolátil -- Topsy.com

  5. Gabriela

    e eu achando que era a única… vejo que muita gente também se identificou, minha nossa! sempre me envergonhei horrores por essa falta de destreza com números! é um alívio saber que outras pessoas compartilham das mesmas fraquezas patéticas e, melhor ainda, saber que existe até um nome científico pra esse distúrbio!

    esse lance do relógio, em especial, já me fez passar por poucas e boas… tenho a MESMÍSSIMA dificuldade e só uso relógio de ponteiro como enfeite. de qualquer maneira, nem tudo está perdido aos que sofrem desse mal. HAHAHA. salvo os contrangimentos públicos inevitáveis, ainda é possível se dar bem na vida: eu passei em 1º lugar para jornalismo na federal do espírito santo, mesmo tendo acertado 2 questões da prova de química e no máximo 3 de matemática. o meu lado “humanas” sempre compensou generosamente a minha deficiência com os danados dos números!
    boa sorte com as adversidades, miriam! mas faça mesmo graça delas porque sempre existem outros aspectos favoráveis pra contrabalancear 🙂
    um abraço!

  6. Bruno Ferreira

    Minha irmã deve ter esse problema também, ela demora pra entender qualquer coisa que envolva números.

    Já no bilhar da pra diferenciar as bolas pelas cores. Cores quentes são impares, cores frias pares. Eu pelo menos sempre diferencio as bolas dessa maneira e não pelos números (até por que só sei a cor da bola 8 e da bola 1, preto e amarelo .. do resto eu nem lembro).

  7. Dênis Corrêa

    Também devo ter essa parada. Sempre foi meio estranho ter dificuldades nas exatas, e ler um livro por mês desde os 13 anos, e conseguir argumentar bem sobre qualquer assunto. Eu era considerado maduro pra minha idade, mas até hoje não sei o que são equações de primeiro grau.

    Curiosamente, eu também teria repetido o 2º ano, mas os professores me deram um empurrão em física e matemática… Eles consideravam que eu era um inteligente folgado. No 3º tive q estudar o ano inteiro, e não só no último trimestre como fazia sempre.

    Apesar de falar bem em público, as vezes tenho um nó no cérebro e troco letras, é algo muito estranho falar “vebi binho” ao invés de “bebi vinho”….

    Não sei se isso afeta o aprendizado de gramática, mas também sou péssimo nisso.

  8. Diego

    Isso me lembra as vezes que eu tinha que dar indiações de caminho para os outros. Meus amigos aprenderam a nunca confiar em mim hehe Até hoje sou lembrado por pérolas, “Vira na próxima… não, não! Na outra próxima!” Na noite em questão, me perguntaram se eu sabia onde eu morava.
    Eu até que perdi um pouco a coisa de não saber entre direita e esquerda, mas sempre lembro qual que é a mão que escrevo. Aliás, já aconteceu de pensar que a direita era para um lado, ae responder que era o outro pq achava que tinha me enganado, só para descobrir que estava certo.
    Também já assustei pessoas falando que 16h30 era quatro e meia =p por essas e outras, tenho amigos que nunca confiam no que eu respondo. É um pouco vergonhoso.
    Aliás, logo que eu voltei para São Paulo, peito estufado pq conhecia a cidade, desci a praça da republica com a certeza que sabia chegar na santa efigenia. Depois de ter me perdido, tinha certeza que estava indo em direção à Sé. CHegando lá, era a Luz. Aliás, até hoje eu tendo a acreditar que as distâncias são mais perto do que realmente são.
    Que bom que eu não tenho TODOS esses sintomas. Bom, saber que não sou o único.
    Continue bem longe dos números ^^

  9. Lana

    Mirian, tava passeando pelos blogs alheios da vida e descobri o seu. parei logo nessa ultima postagem. Odoreeeeeeei ela!
    Tenho total discalculia e quer saber mais? sempre em diziam q era preguiça…. que trauma… pelo menos minah fase de quim/fis e ma-te-ma-ti-ca já passaram. ufa!
    bices

  10. J-Lee

    MIRIAN, VOCÊ SALVOU A MINHA VIDA. LITERALMENTE!
    Desde criança nunca consegui aprender matemática de forma alguma, era uma aluna aplicada e estudava bastante pq sempre gostei de aprender, mas sempre me fudi em matemática. lembro que os professores sempre me passavam no final no ano por pena, e minha mãe e todo mundo achava que eu era preguiçosa e por isso nunca passava, e conseguentemente era muito pressionada e julgada por todos a minha volta. Por causa disso reprovei 2 anos seguidos e parei de estudar na 8ª série. Há um ano faço supletivo mas não consigo terminar pq não passo nas provas de matemática que já refiz 4 vezes.
    Resumindo: eu realmente não consigo me entender com números, e tenho todos os sintomas que vc citou no post. Acho que finalmente descobri o meu problema e espero conseguir resolver minha vida que sempre foi afetada por causa disso :/
    Enfim, obrigada mesmo esse post realmente me ajudou e eu amo seu blog 😀

  11. Daniel

    Que pena! Eu já havia acreditado que você era perfeita. Melhor que manipular cifras e números é ter o dom da escrita. E isso você tem muito mesmo. Não me canso de ler teus posts, menina. Parabéns!! Pena os posts não tão constantes como eu gostaria. Grande abraço!

  12. Karol Wojtyla

    Show esse post. É a segunda vez que você escreve uma coisa que parece com um irmão meu. Agora posso até entender porque ele é meio tapado…..rsrsrsrsrs.

  13. Thiago

    Mirian, obrigado…finalmente descobri o nome da minha doença…agora somo discalculia com a dda, dislexia e alexitimia. Um dia eu chego no tratamento disto. 🙂

    Ah, e parabéns pelo substantivolátil, venho lendo há um tempo e está mto bom. 😉

  14. ellen Oliveira

    PUTZ…………….descObrii meu problemaa
    tenhO Discalculia AGUDA….shaushuashuahsuahs
    sempreee tenHo problemas com tudu relaciOnadoOo a numerOs,direçãO e meus amiigOs ME ZUAM diretO tipO axam quee toh fazendO graça maiis é sériO soh quem sofree com issu intendiii=/
    jáh sOh fãnzonaa dee vcs garOtaas adOroO o blog
    me identificO pacas com Vcs……………..*__*
    continuem sempree assiim e sucessO sempree^^
    beeijOs ?

  15. Rafaela

    Cara, é impressão minha ou tem neguinho se orgulhando de ter discalculia? Parece aquela comunidade do Orkut “Sou bipolar, e daí?”. Sou péssima em português e sempre cometo erros gramaticais, mas não tive nenhuma dificuldade em me formar em Engenharia Elétrica. Não sabe matemática nem física? Pega nada não, é discalculia. Não sabe escrever? Putz véio, cê é mó burro.

  16. Ayala

    Felizmente não tenho esse problema, tirando a parte de falta de senso de direção (norte, sul, leste e oeste). Mas tenho uma solução!

    Repita: Nunca Lamba Sal, Ok?

    Apontando o dedo para cima (aquele que você faz o air-writing) e girando-o em sentido horário. Tchanam!

  17. Tdie

    é incrivel, eu tenho exatamente a memsa coisa, ok eu sempre pus a culpa na loirisse .. foi a forma mais engraççada que eu encontrei de fugir da vergonha que me dava de demorara anos pra desvendar que horas eram no relogio tradicional ou entao de tirar zero na prova mais facil.
    Bem descobrir que eu tenho isso ate é um alivio , mas mesmo assim eu vou continuar me fudendo pelo menos tenho uma nova desculpa pra dar e fugir das frustração!

  18. Karen

    Tenho problemas com números, não à toa faço Letras.
    Mas adoro dar um banho de localização no meu noivo que se orgulha em ser foda em matérias práticas e com números.
    Sei me localizar e ir pra direção que eu quero mesmo num lugar que não conheço. A memória fotográfica tbm me ajuda muito no caso de precisar saber se “já passamos por aqui?”.
    Pena que eu seja um 0 à esquerda no campo de espaço. Aquele que ajuda a manobrar o carro sabe? ^^

  19. sheila

    caracaaaaa!!!! descobri o por que da minha aversão a números 26 anos depois, graças ao seu blog!!! kkkkkkkkkkkkkkkk

    Li algo sobre numero de telefeone nos comentários e voce acredita que meu namorado quase causou uma D.R por que ele me perguntou qual o numero do celular dele e eu não soube dizer “de cabeça” !!! Tudo bem, estamos juntos a 7 meses, ele sabe todos os meus números de cabeça, mas eu tenho problemas com números!!!! nao vou decorar o tel dele antes do primeiro ano!!!

  20. Alan

    Que engraçado,eu tenho justamente o problema inverso. Não consigo montar uma simples sequencia d palavras,porém consigo realizar calculos extraordinarios.Que ironia da humanidade!

    PS. esse texto mesmo precisei rascunha-lo em um papel para escreve-lo aqui.

  21. Bia Loivos

    Morri de rir com esse post. Me identifiquei em cada palavra, impressionante!
    Sempre sofri com minha falta de habilidade com os números, senso de direção, percepção espacial, todas essas coisas… E sempre fui incentivada, pelos professores, a desenvolver minha escrita – coisa para a qual tenho muita facilidade (adorava as aulas de português).
    Eu gostava de dizer uma frase, na minha época escolar, que era assim: “quem nasceu para as letras, não se dá com os números” (ou alguma coisa por aí…)
    Parece ser o seu caso – adoro sua escrita.
    Bjs.

  22. Priscila

    Bom dia e parabens!

    acabei de ler que vc foi eleita entre as 10 blogueiras + bonitas, isso a quase 1 ano e pouco ne!, realmente vc merece, vc é linda!

    Ah eu TIVE que comentar lendo oq vc escreve aqui apenas pq eu me encaixo em TODAS as caracteristicas que vc citou, so nao repeti de ano (e ja sou formada e folgada!) e tenho mas noção de direita e esquerda (ainda sim fazendo em pensamento um [i]air-writing para que ninguem veja) como pode isso hein? Sinto, e as vezes tenho certeza de que nao somo burras mas apenas somos folgadinhas hahaha mas o negocio do relogio até me envergonha na frente da minha mae e irmã me cassoando (?)-(não sei escrever isso ta vendo!)… Mas um dia agente chega lá né!

    Bom tinha que ti contar isso.. um grande beijo e sucesso girl!!! Pri!

  23. @romrocha

    Gente por favor, não vão achar q vcs tem discalculia com descrição de sintomas na internet né. É a mesma coisa q eu achar q tenho DDAH (Déficit de Atenção e Hiperatividade) pq tenho praticamente todos os sintomas. Aposto que a Mirian não acredita q já está diagnosticada apenas consultando um website, que escreveu este texto apenas usando o que leu como inspiração. Então fica a dica, para um diagnóstico preciso, procure por um médico. (e mesmo assim acredito q ainda seja difícil). E continue se esforçando nas exatas, não vão aceitar que tem uma doença e simplesmente abandonar.

  24. Marcela

    Eu chorei por dois motivos:
    1. Descobri que tenho essa budega ai.
    2. Eu ri muito.

    Vocês podem estar lendo e isso e dizendo : “Puta a merda! Essa menina ri da cara do própio cu.”
    Ei! Não é verdade. Eu sou risonha sim, mas quem mandou fazer gracinha? Agora eu to digitando e rindo no meio de uma clínica médica.
    Todo mundo aqui esperando pra ser atendido e eu atrás do balcão de atendimento rindo para o teclado.
    Não me aguento.
    Obrigada por isso. Eu “adooogo” esses posts.

  25. Victor

    Tenho os mesmos problemas que você 0_0,e o pior,que eu estou fazendo Mecânica,,, muita Matemática e muita Fisíca…acho que to fudido!!!

    Abraço

  26. rosa marias

    NOSSA SOFRI ANOS DE MINHA VIDA COM ESSE MAL…ATÉ QUE MEU FILHO ADOLESCENTE TEM O MM PROBLEMA…LEVEI AO NEURO E FOI CONSTATADO DESCALCULISMO…ACHEI QUE ERA BURRA,INCOMPETENTE,FICO APAVORADA DIANTE DE UM PROBLEMA DE MATEMATICA…E NÃO CONSIGO AJUDAR MEUS FILHOS.SERÁ QUE TEM CURA OU ALGO A FAZER PARA MELHORAR?

  27. luiza

    Meu Deus, meu problema tem nome!!! E difícil!
    Não posso dizer que fiquei feliz em saber quantas pessoas sofreram e sofrem como eu por pensarem ser burras, ou desatentas. Muitos me disseram que eu não prestava atenção por onde passava, por isso não me lembrava. Mas eu muitas vezes fazia força mental para conseguir,mas era inútil. Que “mané” ponto de referência em cidade grande, cheia de prédios! Tudo fica tão igual. Hoje mesmo conversando com um sobrinho já de 39 anos e ele me confessou ter os mesmos problemas que eu. Isso me fez vir pesquisar o assunto e me encontrei com essa grande turma dos “sem senso”. E sou tão parecida com a moça do blog! quase tudo, mesmo. Eu brinco também: se girar em volta de mim mesma, já não saberei de onde vim. É impressionante. Fico triste por saber que por causa disso deixei de viajar por tantos lugares sozinha. E brinco mais uma vez: se eu for, corro o risco de nunca mais voltar (por não saber o caminho!) Cômico, mas é triste. Embora também me dê bem com “as letras”. Mas …realmente não há o que fazer por nós???

  28. Francisco Gavinho

    Sou um que tbm Tenho Discalculia, Convivo com Essa Verdade desde Moleque Qdo o Neuro Falou Isso para a Mãe, Pra Mim é um Saco conviver com isso, Já Passei por Algumas Dificuldades em Algumas Materias Matematicas e Hj estou no 9º Ano (8ª Série) do Fundamental. e o que esta me Deixando sem Paciencia é as Equações de 1º Grau Tipo : Sendo U=N e U=Z .
    Qdo Tem Prova abordando Isso Eu Nem Tenho Vontade de Aparecer no Colégio Pra Fazer, Uma Vez Deixei uma Prova de Equações em Branco e na Outra Vez não Compareci em um Teste, Mas Sou Bom em Codificação e Prefixos Numerais, Tbm Estudo Outros Temas Fora do Cotidiano Escolar. em Outras Materias sou Bom, Inclusive em LInguas; Inglês/Italiano/Español, Mas em Matemática sou um DesastreTotal, Quanto ao Relogio Tenho Pouca Dificuldade em ver a Hora em um Relogio Analógico, No digital sei em 12/24 Hrs.
    FUI , VALEW GALERA 😕 😕 😡 😉

  29. Francisco Gavinho

    Retificando: Bom essas Caras de Mau , São Validas para o assunto das Equações sendo U=N e U=Z

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *