Os opostos se atraem, mas não se entendem

Ele gosta de rock e ela de axé. Ele é racional e lida bem com os números, ela, um turbilhão de emoções que conduz através das palavras. Comédia e drama. Pra dentro e pra fora, preto e branco, dia e noite.

E como diabos eles acabam juntos?

Especialistas dizem por aí que eles querem é se completar, encontrar no outro – e possuir, através dele – as características que não encontram em si mesmos. Ok, faz sentido. Mas dá certo?

No começo, talvez. Porque a diferença encanta. Ele, na sua calma, vai ficar abestalhado com toda a vida que ela transmite. Ela, sem parada, vai admirar a incrível capacidade de concentração e traquilidade frente às dificuldades.

Perfeito. Até que, com o passar do tempo – e da novidade – a calma se transforme em falta de atitude e a extroversão em vontade de chamar a atenção pra si.

E como frequentar, com o mesmo ânimo, o mesmo lugar ou ter músicas tema quando os gostos são diferentes? Como criar os filhos com ideais que não batem?

Certamente deve ser mais fácil levar a parada quando as experiências são semelhantes e aproximam. Mas quem é que manda no coração?

O bom do amor (quando pega mesmo) é que ele te permite ceder sem se sentir um imbecil. Quando isso acontece dos dois lados, talvez a coisa funcione.

Quando uma mocinha, num blockbuster aleatório, disse pro cara que não queria cometer nenhum erro, a resposta deu um roundhouse kick em milhões de telespectadores chorosos:

“Então você está na espécie errada, amor. Seja um pato.”

35 comentários em “Os opostos se atraem, mas não se entendem

  1. Janderson Zehr0 Cardoso

    Concordo com quase cada letra deste post.
    Como um bom leonino, sempre odiei meus opostos.
    Costumo dizer que qualidade se soma, defeito não. Fica qualidade e defeito a critério de cada um dizer o que é.
    Por exemplo, o trato com dinheiro pode ser visto como “pão-duragem” por um lado ou visão empreendedora de outro. Neste caso, você não quer um pão-duro mas certamente quer escolheria um empreendedor.

    Parabéns pelo blog.

  2. Rafael Cividini

    Uma das coisas com mais sentido que já li. Inclusive me proporcionou algumas mudanças de opinião sobre certos assuntos.

    Muito bom o blog, já estava preocupado com as atualizações, achei que tivessem sido presas ou algo do tipo hehehe. Não demorem mais tanto assim!!!

    Parabéns!

  3. Marcos

    “Então você está na espécie errada, amor. Seja um pato.”

    Acho que essa frase vale o texto, as vezes em relações as pessoas esquecem-se que são humanos.
    Gostei mesmo do texto. E principalmente da frase.

  4. Jr

    Oie smp leio seu blog, aí estava pensando aqui… não sei se é do seu interesse, mas ganhei o convite do google wave e tenho mais 5 convites sobrando. Aí achei lgl se vc quisesse sortear esses convites no seu blog e tal? fazer uma promoção aí… se vc gostou da idéia, entre em contato se não passo eles para frente, tem um monte de gente pedindo rsrsrs abcs. Não é zuação não viu…

  5. ricardo penachi de camargo

    De minha parte, digo que, numa contingência qualquer, se pudesse ter alguém como você, você, Miriam Bottam, entrando na minha vida, eu tentaria me transformar em tudo, em qualquer coisa que te fizesse feliz…

    E aí a merda federia… mais cedo ou mais tarde…

    .

    Por mais linda que você seja, encantadora, – o que você certamente é – nada faz sentido quando a verdade leva ao oposto.

    A vida vive! A gente pensa…
    E disso tudo… nem sempre sobra regra…

    .

    Eu sou seu fã!

    .

  6. Júia

    Eu quis dizer que amo o filme hahaha, ficou meio confuso 😛

    Gostei do seu texto!
    Ainda não tenho uma opinião formada sobre o assunto, apesar de pensar sobre ele ocasionalmente… Acho que tendo pro lado de que as coisas tem mais chances qdo os dois são parecidos, mas não cheguei a uma conclusão qto a se a diferença condena ou não

    Tenso isso 😛

  7. Mário El-Corab

    Os opostos se atraem na mesma velocidade que se repelem. Um relacionamento
    de pessoas muito diferentes não funciona. A não ser, que estes encontrem um
    meio termo. É triste, mas é verdade.

  8. Guto Vissoci

    Ótimo texto!!! Muito bom mesmo!
    aconteceu comigo faz pouco tempo. Como sou mais calmo e menos ‘saidinho’, fiquei louco por uma menina, hum, porra louca. Mas com o passar do tempo, a ‘paixonite’ passou, comecei a perceber que não daria certo ficar junto e hj estmos amigos… Desse jeito a convivência rola muito bem!
    abração!

  9. Karol Wojtyla

    O antepenúltimo parágrafo diz tudo, porque quando se ama e de fato quer, o tentar entender o outro por erros que ele(a) até entenda que não sejam, é de fato uma prova do amor que surgiu. E como vc msma disse em um post sobre o carnaval: a quem eu devo, para não experimentar as coisas que na hora me parecem legais.

  10. Nina

    ha, muito bom! esse seja um pato fechou o texto perfeitamente. é legal ter alguém que te completa sim, mas sei lá… divergências demais não é interessante. não sei se só o amor em comum dá futuro.

  11. Isaura Ogawa

    Ótimo texto. Concordo quase plenamente.

    A existência da alteridade nunca passa despercebida. Quando não assusta, encanta, e, nesta pior hipótese, é impossível o entendimento A NÃO SER QUE… uma das partes queira mudar, e admire o seu oposto a ponto de querer imitá-lo, e este passará a agir como líder da situação. Algo assim…

    O que não importa, porque de um jeito ou de outro, a coisa não acaba bem.

    Aliás, relacionamentos NÃO FORAM FEITOS para acabar bem. (uh!)

    Acho que estou de tpm…

  12. Bianca Moralez

    Oi.

    Conheci vc’s através de um comercial que tah passando na MTv e resolvi entrar no blog pra ver.

    Ameeeei 😀
    Parabéns, o blog de vc’s é liindo e bem-humorado.

    Vou vir sempre!
    Beeijos, Bia ;* ?

  13. Alice Désirée

    Acho que me perdi onde foi que os animais entraram na história? kkkkkkkk..Tô mto lesada hoje! O amor é um saco, você faz as coisas certas e amor mostra que tá tudo errado, aí vc segue o que o coração diz e se ferra..O amor não tem preço, para todos os outros existe Mastercard! rsrsrsrs..
    Bjs!!
    =1

  14. Suzanne Benayon

    Nooffa, eu adorei o texto *o*, nunca tinha visto. koaakopa a imagem é engraçada. falei’ q essas coisas de oposto se atraem é complicada, se atraem mais ngm se entende é fato o_o.q

  15. Bruna Tavares

    Infelizmente soh conheci HOJE seu blog…
    Queria eu ter conhecido antes e assim me abastecido com os seus textos, que trazem um humor ácido da medida…bem do jeitinho que eu gosto(e q confesso…nunca acho…até agora, claro)
    Parabéns…
    jah esta no topo da minha barra de favoritos!
    E agora já tenho programação pros próximos dias…
    ler todos os posts dessa maravilha xD
    beijoss e mais sucesso!

  16. Daniel

    Gostei muito do post.

    Biologia: No fundo sabemos que diversidade genética constitui seres mais fortes e saudáveis, aí
    ocorre aquele negócio: Altos procurando mais baixas, loirinhas procurando negros (balada?) e por
    ai vai. Ou pode chamar de “atração”, como quiser.

    Eu acho que você procura uma personalidade contrária a sua quando não é uma pessoa segura.
    senão buscaria semelhanças.

    cya
    Daniel – Cidade dos Gordinhos

  17. Antonio

    Essa questão é foda! Já conheci diferentes tipos de pessoas nesse mundo e acho que posso lidar com a maioria a menos que a pessoa fique presa a diferenças. Isso se vale também para lances românticos, em princípio é complicado mergir duas vivências diferentes, mas isso não é uma matemática!
    Convenhamos, todas as pessoas são completamente diferentes uma das outras, o que temos são similaridades maiores ou menores. Quando nos atemos as diferenças só enxergamos essas e vice-versa, esquecendo que existem questões menos superficiais, muito além de aparência física, estilo de se vestir, gostos musicais, etc.
    Isso é uma questão existencial fundamental para o homem moderno, pois não procuramos viver em paz com um país lá no cú do judas, com um povo de origem, língua e costumes diferentes? Também não fazemos o mesmo com aquele país vizinho chato, que tem lá muitas semelhanças conosco, mas sempre brigamos como dois hermanos mimados(Rá…a maioria pensa Argentina e alguns Venezuela).
    Então a questão não só é o “conviver melhor com as diferenças”, lógicamente, não comprometendo o seu meio/modo de viver, mas gerenciando o que há em comum.
    Essa questão musical é clássica! Eu por exemplo nunca fui fã de axé, pior tinha um certo repúdio, mas eu acho que era por preconceito mesmo! Sempre fui mais roqueiro, quando pequeno eram as coisas básicas, os clássicos do Rock, de Beatles a Raul, ainda ouvindo um tanto de Música Clássica, Samba, Bossa Nova, Blues, etc, músicas que nossos pais ouviam. Mas com o tempo vamos diversificando nosso gosto, o que inclui o clássico repúdio adolescente aos gostos paternos… mimimi… Nós somos revoltados, nossos país ñ nos entendem, vou ouvir Nirvana quebrar tudo e ficar deprê e depois quebrar tudo denovo…É nóis! Depois vem a fase adulta, pegamos o que “nossa geração” ouve, o que crescemos escutando e juntamos as coisas em nossas cabeças criando um gosto realmente próprio, nosso!
    Nos relacionamentos o mesmo é válido, depois que viramos adultos e conseguimos enxergar coisas mais profundas do que as superficiais diferenças, enxergamos não só quem os outros são realmente como também quem somos realmente. Depois disso é uma questão de desligar o mimimi e prestar atenção, se a pessoa com quem você estiver for realmente o seu amor depois de tudo isso, pronto, relaxe e seja feliz!
    Agora se for falar de pegação esquece tudo isso, olha pra pessoa, curtiu? Tá limpinha? Achou algo interessante…Pega, relaxa e goza!

  18. Camila Oliveira

    Oii, meu comentario nao tem nada a ver com o post, mas enfim, agnt pode comentar sobre qualquer coisa mesmo né >.<

    Vi voce no #pronto_falei da SYM na televisão e resolvi visitar aqui, saber sobre o que escreve e gostei bastante do blog, acho que eu sou meio desatualizada por nunca ter vindo aqui mas enfim aqui estou!

    Parabéns, visitarei sempre!

    Beeijo Cah

  19. ligia

    Oi Mirian!

    Eu vi uma foto no seu twitter de quando sua sombra rosa quebrou e sujou toda sua bolsa!

    Que cor maravilhosa! Queria saber a marca, vc me conta?!

    até!!! Ligia

  20. War

    É, quando nenhum dos dois tem um amor egoísta é possível ceder dos dois lados. Mas quando só um cede, este vai cansando e o outro vai achando ele fraco, aí a separação é inevitável. o amor é muito complicado.

  21. Vinícius

    É, depois de um tempão sem entrar aqui, vim retomar as leituras e percebi que cê definiu 80% do meu último relacionamento. O pior não é quando começa a desgastar pros dois lados. O pior é quando de um lado o amor cresce, do outro ele começa a desaparecer.

    Não é nada agradável.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *