Sobre Magritte, Tarkovsky e o prazer em errar

E mais uma vez eu fui conduzida pela vida para um caminho completamente novo e maluco. Dessa vez, mais madura e consciente, eu tenho noção do tamanho julgamento que me aguarda e que outrora me apavoraria.

Só que agora algo muito louco acontece: eu não estou conseguindo me preocupar com as impressões de quem assiste de longe essa nova realidade, porque estou muito ocupada me julgando e me sentindo eufórica cada vez que descubro um defeito a ser corrigido.

Eu estou – e é isso mesmo – apaixonada pelos meus erros e deficiências.

Esses dias vi um filme que me estapeou com a melhor definição dessa porra toda que eu disse aí:

“Deixe tudo o que foi planejado virar realidade. Deixe-os acreditar. E deixe que eles riam  de suas paixões. Porque o que eles chamam de paixão, na verdade não é uma energia emocional, mas apenas o atrito entre as suas almas e o mundo exterior. E o mais importante, deixe-os acreditarem em si mesmos. deixe-os serem indefesos como crianças, porque a fraqueza é uma grande coisa e força não é nada. Quando um homem acaba de nascer, ele é fraco e flexível. Quando ele morre, é duro e insensível. Quando uma árvore cresce, é tenra e flexível. Mas quando é seca e dura, ela morre. Dureza e força são companheiros da morte. Flexibilidade e fraqueza são expressões de frescor do ser.” (Stalker – Andrei Tarkovsky, 1979)

Depois de uma certa idade, é muito mais comum (e CÔMODO) olhar pra um novo desafio com pânico do que enxergá-lo com a empolgação de uma criança que compra material escolar novo e chega no primeiro dia de aula, com aquele frio na barriga, mas querendo que tudo aconteça logo. Querendo conhecer os professores, os futuros amigos, querendo abrir o caderno e usar as canetas novas, querendo absorver a matéria e tirar um dez na prova final.

Meu caderno e minhas canetas são minha voz e minha imagem, minha prova final é sentar no sofá e ver na tela da tv algo do qual eu mesma me orgulhe.

Essa falta de medo me lembra um outro maluco que anda pelos becos das viagens existenciais comigo há algum tempo: o mano Magritte, que um dia falou da “ruptura com o conjunto de absurdos costumes mentais que geralmente ocupam o lugar de um sentimento autêntico da existência”

Meu sentimento autêntico da existência é viver o sentimento de criança no primeiro dia de aula. O conjunto de costumes absurdos é eu foder com um processo de aprendizagem, concentrando energia no que os críticos de sofá vão falar de mim.

Ainda no role Magritteano, cito que “a imbecilidade consiste em crer que compreendemos o que não compreendemos”, uma versão mais violenta do só sei que nada sei. De qualquer forma, ambos vão direto e reto no cerne do meu momento. Porque é nada sabendo que eu vou aparecer na casa de vocês toda terça, às 22h30, no programa A Liga, na Band, falando umas abobrinhas, perguntando, chorando e vivendo ligada em 220 até entender um pouco mais da vida. E já aviso que vou ter olheiras. Cansei de ser sexy, internet.

Eu sei, eu sei, faz três meses que eu não atualizo e daí eu apareço com essas balelas. Mas esse é meu diário né. E na verdade, é tudo pra tentar dizer pra vocês que o medo, na verdade, está sempre lá tipo uma furadeira na cabeça, mas, finalizando a sessão quotes: “a coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, E NÃO A AUSÊNCIA do medo.”

Resumindo a merda toda: não sejam cagões. Tem muita gente que vive pra transformar a vitória alheia em chacota e nenhum deles sabe agir quando a chacota vira vitória.

18 comentários em “Sobre Magritte, Tarkovsky e o prazer em errar

  1. Angie Dois

    Adorei. Sou normal. Não estou sozinha neste planeta > “isso mesmo – apaixonada pelos meus erros e deficiências.” Vc. está devida// favoritada.

  2. Ricardo Penachi de Camargo

    Toda história de vida de grandes nomes traz uma coisa em comum: realização… no sentido mais íntimo da coisa… daquele(a) que fez, avançou, apendeu… viveu… realizou. E por consequência deixou um exemplo, uma marca num tempo qualquer… em seu universo…

  3. Diego

    Absurdamente feliz por você. Eu te admiro demais e torço demais. Cada conquista sua é como se também fosse minha. Eu tenho muito orgulho de ser seu leitor, seu fã e agora também seu espectador.
    E eu sei que você ainda crescerá mais e conquistará mais. E eu sempre estarei acompanhando, na medida do possível, e torcendo incondicionalmente.
    Mirian Bottan, você é foda pra caralho!

  4. Cris

    Adorei a parte que diz “porque estou muito ocupada me julgando e me sentindo eufórica cada vez que descubro um defeito a ser corrigido. Eu estou – e é isso mesmo – apaixonada pelos meus erros e deficiências.” É isso aí… Concordo plenamente pois tb tenho agído assim. Afinal… meus erros são meus maiores professores. Adorei o post. Abraço.

  5. Tharcy

    Senti um murro tão forte na boca do estômago, agora, e foi tão bom que eu nem consigo dizer nada além disso. Só que eu preciso sair de minha comfort zone e sentir um pouco de medo e euforia, for a change. Pequena, você é só sucesso. Torço muito por você. Beijão.

  6. Na Codo

    Olha, eu tenho que te dizer que meu amor pelo Tarkovsky cresce cada dia mais e que a citação dele foi muito bem colocada aqui. E te dizer também que minha admiração por ti só aumentou, você é foda Mi! Muito obrigada por me fazer confiar e acreditar, obrigada mesmo, de verdade verdadeira. (:

  7. Caroline

    Nunca tive a oportunidade de assistir este filme, mas vou procurá-lo.
    A verdade sobre a vida e a morte é mais que transparente, e a gente insiste em endurecer, já não basta a dureza que a vida têm.
    E sobre os medos, medo de quem né?
    Estamos acostumados com o que é seguro, e por falta de bola de cristal a gente acaba se apegando, e como mostra a imagem a mágica rola bem ali.
    Quero ver a Mágica rolando pra você Mirian, não te conheço, óbvio.. mas é bom poder ver a tua coragem… te vejo lá na minha TV 😉

  8. Franfs

    Que legal Srta. Botttan! Assisti um pouco da sua participação na A Liga, o sono não me deixou ver tudo 🙁 mas vou procurar no youtube o restante! Que Deus te abençõe nesse novo caminho que estás trilhando! Você podia postar como conseguiu chegar até as telinhas, né?

    Beijos
    @_franfs

  9. Valéria Fagundes

    Oi, Mirian! Eu quase nunca comento, mas foi muito engraçado estar ontem vendo TV e me deparar com você e te reconhecer, sendo que apesar de ler isso aqui há bastante tempo eu não conheço você, né. Desejo sorte pra você e que seja bacana pra sua vida essa experiência. E que você não abandone tanto o blog, btw.

  10. Débi Angel

    Olá, moça!!!

    Amo ler o que vc escreve!!! Pena não tê-la visto na última terça. Mas na próxima, com certeza o farei!

    Que sua “luz” continue a brilhar!!!

    O que há de melhor é o que lhe desejo!!!

    Um abraço forte e carinhoso!!!

  11. Cristiane

    sucesso. vc merece td de bom que tem conquistado e irá conquistar… Eu penso assim: de cada pessoa, cada acontecimento a gente aproveita algo e que raramente esquece e de vc será essa frase : “não sejam cagões. Tem muita gente que vive pra transformar a vitória alheia em chacota e nenhum deles sabe agir quando a chacota vira vitória.” Beijas

  12. Enio Luiz Vedovello

    Eu te entendo.
    Por anos eu acabei sendo contaminado por esse sentimento de pânico. Não meu, mas acabava por me travar. Poder viver sem esse pânico, é libertador.
    Mudando de assunto, desejo-lhe sucesso no programa.

  13. Carlos

    Pois é, Dª. Mirian. Passa o tempo, e sua habilidade de nos cativar com poucas palavras continua intacta.

    Obrigado pelas reflexões e por dividir com a gente um pouco do seu ser. Boa sorte com as mudanças! Que essa nova fase seja de muito sucesso e aprendizado. Keep on making it happen! “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”.

  14. Raphael

    Acompanho seu trabalho – neste blog e em seus varios perfis de redes sociais – já faz algum tempo, e realmente estava com saudades dos seus posts por aqui (não nos deixe por mais 3 meses Por Favor!).

    Enfim, Acredito que se a opinião de um anônimo pode ser levada em consideração, então pode ser também relevante a minha opinião sobre seu mais novo trabalho na TV.

    A primeira vez que você apareceu fiquei espantado, muito espantado mesmo, depois de uns 2 segundos o espanto se transformou em empolgação e em um “Nossa Ca5%#…. Não acredito que é ela mesmo…”. Mas enfim, gostaria de dizer que fiquei extremamente feliz por você, mesmo sem te conhecer pessoalmente, ter falado contigo ou saber como é a real MBottan…

    Você foi excelente nestas 2 participações que foram ao ar, e acredito que, se for esse mesmo o seu objetivo, será muito bem sucedida.
    Será ótimo acompanhar essa mais nova fase da sua vid… mesmo que este desafio se pareça maior do que você imagina ou algo indescritivelmente dificil de ser executado, nunca deixe de confiar em sua capacidade e em seu enorme talento.

    Você tem uma maneira “única” de escrever e se expressar. Poucas pessoas conseguem cativar o leitor com qualquer coisa que saem da cabeça…sobre o cotidiano ou sobre as coisas mais simples da vida, eu só conheço duas… e você sem duvida é uma delas.

    Abrace esta oportunidade e muitas outras chegarão, faça feliz todas as pessoas que torcem por você e aproveite para dar Show Mais uma Vez.

    Beijos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *