Sobre o Tempo

Como eu não consegui comprimir a maldita música, carreguem o vídeo abaixo antes, pra ler com trilha sonora. E abaixa um pouco o diacho do volume, pra não ensurdecer.

——————————————————————-

Haja hoje pra tanto ontem, já disseram Leminski e seu bigode bizarro. E foi a primeira coisa que me ocorreu quando li no meu scrapbook a seguinte mensagem, depois de mandar um meadd, no Orkut, pra uma menina que estudou comigo há mais ou menos quatro anos:

Oi, me desculpa, mas eu te conheço?!

Cumassim!? A mesma rapariga, uns dois anos mais nova, me adicionava toda vez que eu deletava e criava outro perfil, diacho! De repente, a menina não lembra mais de mim. Mas eu sabia o porquê. Minha resposta foi:

Eu tinha um cabelo vermelho bizarro e usava uma mochila gigantesca do urso Pooh. Lembrou?

Poisé. Eu tinha o cabelo da cor do tomate mais maduro do mundo e usava mochilas de acrilico e/ou pelúcia. Também usava blusas com estampa de quadrinhos e saias pregadas de todas as cores existentes. Antes disso, eu usei coisas de skatistas e tentei fumar porque achava bonito. Felizmente, eu odiava mais.

Depois de ser ruiva, loira e morena, já nem sei de que cor o meu cabelo é. Também já coloquei piercing no supercílio e no meio dos zóio. E também já pesei 10kg a menos, com a mesma altura.

Eu mudei tanto, que as pessoas que me viam há quatro anos não me reconhecem mais. E de repente eu me dei conta do quanto a minha barrinha de inocência diminuiu em tão pouco tempo.

Com 12 anos eu chorei de alagar o quarto por gente que nem sabia dos meus sentimentos, depois chorei por gente que sabia e não dava a mínima. Com 14, achei que estava amando e que ia ficar com o dito pra sempre. E acabou. Aí achei que ia ficar solteira pra sempre. Então conheci alguém que amei de verdade e por muito mais tempo.

Fiz coisas que pareciam certas, depois se mostraram erradas, depois se mostraram meios errados para um final (quase) certo. O que não significa que não doa. E que eu não sonhe todos os dias com como as coisas poderiam ter sido diferentes. Mais que isso, não significa que eu não sonhe em ainda repará-las, um dia.

Dei importância pra pessoas que me levaram pra tomar sorvete, quando o que me deixava forte era a minha avó me entupindo de chuchu. Se fosse pelos sorvetes, eu só teria cáries. E hoje, além de tudo, eu sei cozinhar o chuchu pra futuramente entupir os meus filhos, mesmo contra a vontade deles. E eu o farei.

Tenho uma lista de pessoas pra pedir perdão. E também o farei, pois uma das coisas que o tempo transforma, e muito bem, é a vergonha idiota de chorar e se desculpar. Também só hoje eu entendo porque o meu pai me bateu quando eu queimei a secretária eletrônica (nooossa) novinha que ele acabara de comprar. E eu só sei disso porque ainda não consegui comprar o meu próprio telefone.

Finalmente eu parei de querer farra atrás de farra por medo de ficar sozinha. Eu sou a minha melhor companhia. Apesar de não conseguir me livrar de uma relação quase carnal com o aparelho de DVD. Que só não chega a ser por culpa do controle remoto.

Tá, foi péssima.

Enfim, toda essa fanfarronice, é pra dizer pra você que: tomou um pé na bunda, fez cagada e machucou alguém, tratou mal quem não merecia, deu valor às coisas erradas e perdeu muita coisa por causa disso, que você está exatamente onde deveria estar, e vai ter que chorar pelo que perdeu. Mas, mesmo que leve alguns anos e muitos capotes, você vai aprender, e um belo dia, sem mais nem menos, vai se sentir feliz de verdade, onde, com quem e como estiver.

Melhor ainda se você tiver apenas 21 anos, e uma vida inteira pela frente.

And that’s what you get when you let your heart win.

84 comentários em “Sobre o Tempo

  1. xandih

    Primeiro post aqui.
    Conheci o blog por indicação do Uhull S.A.

    Bacana, já assinei o feed e pretendo acompanhar..
    Posso ser só mais um comment dentre os 52 (só neste post), masss, de qualquer forma, eu sou um metido no twitter e já dei o follow lá também 🙂

  2. Paulo

    é bom saber que a vida apenas começa aos 21.

    quando inserimos o tempo na nossa perspectiva, vemos que não dá mesmo pra esquentar com nada.

    Mas os próximos 10 anos serão cruciais!

    Não que não dê pra derrubar tudo e recomeçar aos 31, 41, 51, 61 … bem talvez 61 seja demais… sei lá.

    No fundo, vivemos muito pouco.

  3. johnny

    Tô impressionado com a tua facilidade pra escrever. E mesmo sendo um assunto sério, consegue levar com bom humor. Esse texto serve pra todo mundo, porque todos fazem essas cagadas ai e alguns ainda se limpam com folha de urtiga.

    p.s: pode-se unir o útil ao agradável, fazendo sorvete de chuchu.

    *p.s.t.u: muito massa ler um texto que comela com uma citação do Leminski, o polaco porra loca.

    *post scriptum totalmente útil

  4. Romullo Pontes

    minha querida, quanta informação nova sobre você nestes posts da primeira página. coisa que realmente é difícil de imaginar, de interligar com o seu jeito. acho legal você falar do seu passado desta forma, sem medo.

    tinha tempo que não te visitava e tinha plena consciência do que estava perdendo. o problema é que eu tinha certeza que quanto viesse aqui, não ia descançar enquanto não ler tudo que não havia lido antes… é uma obseção! você sabe que isso toma tempo, né?.. e tempo é tudo que eu não estou tendo… hunf! o problema é que quanto mais tempo eu passava sem te visitar, mas tempo eu gastaria pra ler seus textos, cada vez em maior número. preciso ter uma percepção mais matemática dessas coisas.

    não adianta me indicar o uso do feed reader. isso vai acabar me fazendo perder ainda mais tempo, mesmo que esteja ganhando mais informação. tenho que conviver com esta dúvida. questão de escolha. certa ou não…

    musiquinha pegajosa, hein!

    beijo grande e sucesso sempre fia!

  5. Carlo

    Você é emo é?
    Uau, com 21 anos você realmente deve ter experiência de sobra pra ficar dando conselho pros outros. Ainda mais pra esse público criado em condomínio, fã de malhação e MTV. Adequado.

    Ótimo blog!

  6. Mirian Bottan

    Sabe o que é o melhor disso tudo, Carlo?

    Ninguém sabe exatamente sobre o que eu estou falando, é como uma música bem escrita, pode ser sobre um sanduíche e acabar fazendo muita gente pensar no sentido da vida.

    Mas consequentemente vai fazer os mal amados, invejosos e pobres de espírito como você também terem algo inútil e imbecil pra falar.

    Não gostou? Faz melhor do que os 60 comentários em 3 dias.

    😉

    E volte sempre.

    Ps. Me desculpem leitores, mas tem nego que pede.

  7. Carlo

    Mirian,

    você que agora é uma pessoa pública e formadora de opinião deveria saber como receber críticas ou comentários negativos… não precisava me ofender… eu não te ofendi. Só critiquei o seu texto.
    Aliás, nem tenho blog, nem site nem nada… Nem sei o que são ” 60 comentários em 3 dias” Isso é bom? Pra mim isso só mostra como existem pessoas (adolescentes) desocupados que ficam o dia todo na internet. E ainda dão crédito para uma redação pseudo-profunda que pôe na mesma panela Leminski e Orkut juntos. Mas não quero magoar seus sentimentos.

    Mas você disse tudo. O sentido da vida para essas pessoas se resume a Orkut, a “add” ou não “add” e outras bossalidades… Mas eu respeito.
    Também acho que conteúdo é tão bom ou melhor do que apenas um texto bem escrito.

    Obrigado por ser bem vindo no seu blog.

  8. Mirian Bottan

    Carlo, me poupa.

    Você me ofendeu sim, e ofendeu também os meus leitores.

    E conseguiu ser ainda mais idiota do que no primeiro comentário, ignorando a mensagem da minha réplica. Então vou mastigar pra você:

    Aparência física é uma coisa complicada. A partir do momento que me vêem, com esse sorrisinho da foto, as bochechas rosadas e a carinha de criança, fica praticamente impossível imaginar que eu já tenha passado por qualquer dificuldade e/ou drama na vida, né? Então não te culpo.

    Mas, partindo do ponto que vc não faz idéia de quem eu sou, e das coisas que já aconteceram comigo, perde qualquer direito de fazer as insinuações toscas q fez.

    De enredo de malhação, a minha vida não teve foi nadinha. Não só a minha, como a de muitas das pessoas que se identificaram com o texto.

    E muito mais nobre é o tempo gasto por essas pessoas pra dizer que compartilham de uma reflexão, do que o seu, patéticamente gasto pra vomitar uma raivinha gratuita, em gente que você nem conhece. Parece coisa de esquerdista fanático.

    Ninguém aqui tá prestando atenção às suas ofensas baratas, pára com isso, pq chega a dar dó dessa mediocridade toda.

    E você não é bem vindo, seus comentários serão ignorados e apagados from now on.

    Bjo!

  9. Renan Az

    Go Go Mirian!!!

    Me da pena de um ser humano como esse. Qual a visão que essa pessoa deve ter da vida?
    Pobreza de espirito, bossal, que como voce mesmo disse, ofendeu, nao so a voce, como a todos que estao sempre aqui lendo seus bem escritos textos.

    Adoro seu blog (site?!), to sempre aqui =)
    Cheers!
    Beijos

  10. Filipe

    OIeeee

    só queria dizer que Paramore é muito bom!!!!! ótima escolha!!!

    ae e putz vamos correr atrás dos nossos sonhos que isso que importa

    abração

  11. Pingback: Meu Google Reader (08/04 - 21/04) | 30 & Alguns

  12. Bárbara

    Gostei do texto…valores…tava pensando nisso esses dias.
    Mas sobre a promoção da melissa: Que absurdo as introduções dos textos! Juro que estou tentando, mas não garanto muita coisa… Vou participar pelo menos pra fazer volume, e te ajudar ok?

    Bjim!

  13. Youta

    Apesar dessa tensãozinha à toa, eu adoro quando rolam esses ataques gratuitos. Me divirto horrores, mesmo que seja comigo. Mas sempre tem um retardado que vai achar que é a cereja no topo do chantilly do seu milk-shake e vai dar uma de “Eu sou mais experiente que você e você não passou por nada ainda.”

    Sabe o que eu digo pra essas pessoas? Foda-se! Não é por falta de idade que falta experiência, já vi uma criança de 10 anos resolver um problema de um homem de 40 com uma frase inocente, então “experiência de vida” é só um adicional.

    E como sempre dizem, a porta de saída é serventia da casa, se ele não gostou, tem um “x” ali em cima que resolve o problema.

    Adoro o blog e de tempos em tempos dou uma olhadinha. Meus parabéns, dona Bottan!

  14. Thiago

    ELe comentou no meu blogue também, criticando.

    Adotei a lei da ditadura:

    O BLOGUE É MEU, EU REMOVO OS COMENTÁRIOS QUE NÃO GOSTAR. PONTO.

    ah, sou antisocial, não aceito críticas, o caralho a quatro? FODA-SE, O BLOGUE É MEU. QUER DEMOCRACIA VÁ PRA OUTRO LUGAR. Não é democracia e a ÚNICA opinião que importa é a minha.

    Essa é a lei do meu blogue agora. 🙂

  15. Juliano Passos

    parabéns

    isso se chama evolução e são poucos que conseguem enxergar isso e ter coragem de admitir que já foi errado algum dia.

    continue assim!

  16. leo

    concordo com vc em genero numero e grau.
    vc manda muito bem com o teclado e com as ideias menina.
    parabens.

  17. Filipe Arcanjo

    Sem dúvida, um dos melhores textos já publicados no substantivolátil. Simplesmente inspirador.

  18. Beatrice

    Não sei nem como cheguei ao seu blog, mas gostei muito do que li, este post em especial me deu vontade de comentar, muito bem escrito, e o último parágrafo foi uma bela sacudida para aqueles momentos ‘baixo-astral’.

    “A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste.” (John Ruskin)…será!?

  19. El Rafo

    Bem, foi hoje que descobri teu blog, e comecei a lê-lo por puro ócio, ouvindo um Mix-CD q mandei pra uma pessoa que não sabe o que ele significa. Por isso, não segui sua sugestão de trilha sonora. E deu certo. Quando eu chegava no parágrafo sobre pedir desculpas, o Teenage Fanclub cantava “I didn’t want to hurt you oh yeah…”. Bateu.

    Esse comentário não é pra dizer nada, é só pra dizer que vocês têm um novo fã.

  20. KALEANDRA

    Sem dúvida, um dos melhores textos já publicados no substantivolátil. Simplesmente inspirador!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  21. lu olhosdemar

    adorei isso, ó: “Dei importância pra pessoas que me levaram pra tomar sorvete, quando o que me deixava forte era a minha avó me entupindo de chuchu. Se fosse pelos sorvetes, eu só teria cáries. E hoje, além de tudo, eu sei cozinhar o chuchu pra futuramente entupir os meus filhos, mesmo contra a vontade deles. E eu o farei.”

    rss.. ótimo!

  22. Ana Cris Abreu

    oi!!
    achei esse seu post mt parecido comigo… mudança de cabelos (noooossa, passei o último ano ruiva mas como estava me saindo mt mt caro e minha mãe n parava d reclamar, acabei cedendo aos pedidos dela!!) e a relação carnal, ou melhor, quase carnal com o dvd? essa eu tb tenho… pq farra atrás de farra já me tirou a paciência… e eu tb n quero arrumar um namorado numa farra né? deus me livre… já tive homem farrista e disso eu tô pulando fora!!! eu tenho blog e talento zero p escrever (mas só quem vê é minha irmã caçula e uma prima q tá longe)e admiro mt quem escreve bem!! vc tá d parabéns… tem mt blog sem graça por aí (ops, temo q o meu seja um deles. as duas citadas gostam)
    bjss

  23. Pingback: Meu Google Reader (08/04 – 21/04) | 30 e Alguns

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *