Um recado às mulheres que semeiam vida

Quando eu tinha 12 anos, arrumei meu primeiro namoradinho. A gente mal sabia o que fazer, eu mal tinha dado o meu primeiro beijo e nem sabia mexer cas coisa lá embaixo mas assim que a minha mãe descobriu, já me arrastou até uma ginecologista pra consulta, anticoncepcional, sermão sobre um monte de coisa que nem fazia sentido pra mim ainda e, além disso, daí pra frente me aporrinhava todo ano pra fazer aquela coisa insuportável que é o exame preventivo. Marcava e me levava com a cara emburrada. Desde os 12 fucking anos.

GRAZADEUS, SALVE SALVE DONA ELIANA.

Quem sabe se mais meninas tivessem uma dona Eliana paranóica que as colocasse em contato regular com um profissional de ginecologia, nós não teríamos perdido mais 4 MIL VIDAS no Brasil em 2012 para o CÂNCER DE COLO DO ÚTERO.

Fiquei a par dessa informação na última quinta, numa palestra-chacoaio com o pessoal da Associação Brasileira de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia. Esquece o nome complicado e prestenção no que interessa:

Se você é mulher fêmea do sexo feminino você sabe que o preventivo é um momento infeliz das nossas vidas. Sem nem te pagar um drink chegam com um bagulho de metal gelado que é basicamente uma alavanca pra enfiar em você e abrir caminho rumo ao seu útero, enquanto conversam com você sobre um assunto aleatório da atualidade (ou sobre a sua vida e família se é um profissional que vc já conhece) e você fica ali querendo se desintegrar pelo incômodo da situação de estar exposta e sendo cutucada pra coleta de material por… sei lá, menos de um minuto.

Mais ou menos um minutinho incômodo é o que dura a forma mais acessível de prevenção de um tipo de câncer que representa a QUARTA PRINCIPAL CAUSA DE MORTE ENTRE AS BRASILEIRAS.

Acontece que uma das principais causas do desenvolvimento do câncer de colo do útero é o HPV, um vírus sexualmente transmissível que tá por aí, é bastante silencioso e não muito levado a sério aqui na terra brasilis. Estudos pelo mundo comprovam que 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas pelo vírus em algum momento da vida. OI TEN TA POR CEN TO.

Agora, a treta: justamente os tipos mais frequentes desse vírus, vêm com o brindezinho de POTENCIALIZAR O RISCO DE CÂNCER EM ATÉ 100 VEZES.

Só que, segundo os resultados de uma pesquisa feita pelo Ibope, 66% das brasileiras não relacionam o vírus com o câncer. Mas isso não é o pior: 40% NÃO RELACIONAM O EXAME PREVENTIVO COMO FORMA DE PREVENÇÃO DO CÂNCER.

Como eu cresci fazendo o preventivo todo ano e sabendo exatamente porque fazia, esse dado me deixou impressionada. Mas não mais que esse: 31% das entrevistadas NUNCA REALIZARAM ou fizeram APENAS UMA VEZ NA VIDA o papanicolau.

Gente, a gente não pode escolher ser assaltada e tomar um tiro, ser atropelada, cair e bater a cabeça e muitas outras formas de morrer. Mas se dá pra escolher não morrer de um câncer, com uma consultinha por ano, que pode ser feita pelo SUS, não dá pra fazer parte dessas estatísticas, né?

Todas essas informações levaram à campanha MULHERES QUE SEMEIAM VIDA, uma iniciativa ótima que usa as redes sociais como plataforma de conscientização sobre o assunto. Afinal, já que tá todo mundo no Facebook, porque não usar ele pra ampliar o acesso à informação e tentar diminuir o número de mortes no Brasil?

A cada 25 likes na página, uma árvore será plantada em homenagem às brasileiras que morreram vítimas da doença no ano passado, como eu comentei no começo do texto.

Mas, independente disso, curtam pra ler mais, entender mais, pra SE PREOCUPAR MAIS. Não é brincadeira, não dá pra ir deixando pra depois quando o depois pode ser muito tarde. E muito menos quando o que te separa de um “muito tarde” e nenhum depois é um examezinho de menos de um minuto, que é acessível no país todo de forma gratuita!

E, vale lembrar, existe uma informação que talvez seja mais chata do que o próprio exame: suas filhas, por mais novas que sejam, um dia VÃO TRANSAR. Acostume-se com essa ideia e ajude-a a se proteger e se cuidar. Não deixe o medo da perda da inocência da sua menininha ser responsável pela perda da VIDA da sua menininha.

E é isso aí, todo mundo ligando pra gineco e vamo que vamo!

4 comentários em “Um recado às mulheres que semeiam vida

  1. Tati Leguthi

    Assunto importantíssimo, mto bom, parabéns! Lembrando q já existe a vacina contra o HPV, meninas acima de 9 anos já podem tomar, são 3 doses, mas, infelizmente, que eu saiba não é disponibilizada pelo SUS. Qdo tomei paguei 500 reais a dose, bem salgadinho o preço, mas é a nossa vida em jogo!

  2. Eliana

    Nossa, lavou a minha alma, agora! Bem que a ginecologista disse na última vez que fui lá:”A Mirian teve jeito!”. Quem te viu, quem te vê, né filhota. Te amo.

  3. Renan

    Parabéns pela iniciativa de falar sobre esse assunto, Mirian… Com o perdão do trocadilho, tem que ter peito pra falar sobre isso, e tentar conscientizar as pessoas sobre os riscos e as prevenções de DST’s!
    Cada vez mais maduros seus posts.
    Quando puder, dê uma olhada no meu blog tambem, estou começando agora, e um conselho de quem manja muito sempre é bem vindo!
    blog404notfound.wordpress.com
    Dá um bizu lá e comenta oq vc acha!
    Beijo!

  4. fernando

    A doença não avisa quando vem e aqueles planos de viagem; passeio; emprego; intercambio; etc.; vai tudo por água abaixo.
    80% será infectada por HPV, é 8 em 10 mulheres; e hoje em dia, normalmente, as pessoas não casam com o primeiro namorado; segundo a gineco de minha esposa, meninas de até 15 anos não é incomum já ter o HPV.
    Mês passado minha vizinha descobriu essa doença muito tarde e deram 6 meses de vida. Vivenciar este problema é MUITO TRISTE.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *