Ygor, o hamster russo

hamster
“Soon…”

Um dia eu acordei e senti que precisava ter um mascote. É que passo muito tempo sozinha aqui em Buenos Aires e, poxa, uma vidinha fazendo companhia pra gente é muito amor. Mais: eu precisava doar meu amor a uma vidinha.

Entao decidi comprar um peixe.
Estava super contente, pensando “vou ensiná-lo a fazer acrobacias!” mas quando compartilhei isso com a minha irmã, ela retrucou: “você não pode ensinar isso a um peixe.” Eu disse “claro que posso, vou dar comida quando ele fizer isso e..” e ela: “não.” Aí decidi comprar um hamster.

Cheguei no petshop e avistei os hamsters sírios. Aqueles douradinhos, gordinhos e fofos. Estavam todos dormindo com cara de lindos e de ternura pura.
No vidro ao lado, havia uma casinha e vi que tinha alguma coisinha embaixo. Levantei a casinha, sai um hamster cinza correndo, sobe na rodinha da gaiola e me olha com uma cara meio de raiva tipo “véi, por que você fez isso?”
Era um Hamster Russo. Comprei esse, claro. Achei ele muito mais divertido. Dei o nome de Ygor, o Russo.

No caminho à minha casa, já percebi que ia dar merda: tentava fazer carinho nele, ele me mordia. Mó grosseiro.
Cheguei em casa, solto o hamster na nova casinha dele – pela qual paguei uma puta grana, porque comprei uma super moderna – e o filho da puta agarra meia duzia de grãozinhos de comida, se esconde dentro da rodinha e NÃO SAI MAIS DE LÁ.

Quando saiu, tentei pegar ele na mão ele correu pela casa inteira, se escondendo em cada canto, me olhando com cara de “sai, porra!” e “o que cê está fazendo?!”
Parou no potinho de comida, comeu um pouco e eu agarrei ele na marra (tomando muito cuidado pra nao esmagá-lo).
Em menos de 1 minuto ele cagou e cuspiu toda a comida que tinha na bochecha… na minha mão.
E foi assim todo o fim de semana. Ele me odiando, eu tentando fazer carinho nele, ele me cuspindo comida e cagando na minha mão.
Daí no domingo à noite decidi que ia limpar a casinha dele, pra ter uma casinha mais confortável. Sei lá, eu fico feliz quando troco o lençol da cama, então na minha cabeça fazia sentido.

Mas minha estupidez foi tanta que eu comprei um desinfetante cheiroso. Pro hamster. Limpei a casinha toda e coloquei ele de volta. E foi aí que começou meu problema. O Ygor ficou puto. Começou a cheirar tudo, a tentar escapar da casinha, deu um salto mortal, pulou pra fora da casa, tentou entrar no lixo onde estava a sujeira da casinha dele e… começou a bater a cabeça na parede.

Ele tomava distância na metade do quarto, saía correndo e se jogava contra a parede.
Eu entrei em pânico, comecei a gritar “Você vai se matar!”, tentei segurá-lo, coloquei ele no lixo com a sujeira da outra casa, tentei dar comida, tirei ele do lixo, coloquei na casinha, tranquei ele lá dentro e ele ficou lá, se jogando na parede da casinha.

Comecei a chorar. Ele escalando as paredes da casa, eu derrubando ele, ele me mordendo.

Aí ele parou. Parou, sentou no potinho de comida e comeu. Comeu, comeu, comeu sem parar.
Liguei pra um amigo daqui e contei a história e ele disse “Maira… Eu acho que você drogou seu hamster com desinfetante e agora ele tá com uma puta larica. Fica de olho, se ele dormir, certeza.”
E foi exatamente isso que aconteceu. Passou a fome absurda, ele dormiu. No meio da comida.

Hoje acordei e ele estava calminho da vida. Acendi a luz do quarto e ele ficou em pé na casinha. Abri, ele subiu na minha mão e ficou ali. E ficou uns lindos 15 minutos, pedindo carinho.
Eu, com a maior cara de idiota, feliz da vida querendo mostrar pra alguém, corri no quarto de um dos meninos e falei “OLHA OLHA!! Ele não me odeia!!” e fiquei ali naquele momento lindo até que ele cagou e cuspiu comida na minha mão outra vez.

Falei “você é um ogro idiota, Ygor.” – coloquei ele na casinha e fui lavar a mão.

Enfim, vim pro trabalho pensando nisso. Será que eu comprei 15 minutos de carinho dele com um pouco de desinfetante que deixou ele louco? Cogitei comprar um pouco mais, pelo menos até ele se acostumar comigo…

Mas a maior dúvida é: se ele ficou tão feliz com desinfetante… será que se eu limpar a casinha com vodka, ele me ama pra sempre? Afinal, ele é um Hamster Russo, né?

5 comentários em “Ygor, o hamster russo

  1. Eliana

    Estava aqui pensando em comentar, mas é tão estranho que nem sei o que falar. Ainda bem que estou bem longe. Né?

  2. Igor Faria

    Haha. Já tive um desses é isso de cagar na mão dos outros não acaba, já tô te avisando! 😛

  3. Giuliano

    Se fosse aqui no Brasil, iam falar que isso é coisa de brasileiro. Povo esperto que se aproveita da boa vontade dos outros para tirar vantagem. Não sei se fico feliz por não sermos os únicos filhos da mãe, ou se fico triste por saber que o mundo está assim.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *